Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Proposta de resolução do teste do 8º Ano - Escolha multipla

Mäyjo, 27.01.09

Pois é, o teste afinal já era público há muito tempo.

Basta ver o post de 19 de Dezembro.

 

A resolução aqui fica.

 

1- População absoluta é:

B – O número total de habitantes.

 

2- A relação população/superfície exprime:

C – A densidade populacional.

 

3- Áreas repulsivas são:

C – áreas onde não há praticamente população.

 

4- Áreas atractivas são:

A – áreas com muita população.

 

5- Áreas mais fracamente povoadas correspondem as regiões:

B – montanhosas de clima agreste.

 

6- O relevo, o clima e o solo são exemplo de factores:

D – físicos.

 

7- Os transportes, a indústria e a agricultura são exemplo de factores:

A – humanos.

 

8- As áreas de montanha possuem algumas características que condicionam a fixação humana porque:

 

A – a camada de solo arável é pouco espessa.

 

9- As florestas equatoriais possuem baixas densidades populacionais porque:

D – a conjugação da elevada temperatura e humidade torna estas regiões muito insalubres.

 

10- As regiões situadas nas altas latitudes (regiões polares e subpolares) são de difícil fixação humana porque:

 

B – o solo está permanentemente gelado.

 

11- As três grandes concentrações de população são:

A – Sul e Sueste Asiático, Europa e Nordeste dos Estados Unidos da América.

 

12- A Europa Ocidental:

C – é um dos principais focos populacionais do globo.

 

13- A Europa Ocidental é uma região com muita população porque:

D – tem um grande desenvolvimento industrial.

 

14- As seguintes áreas são vazios humanos:

B – Deserto do Sara, Himalaias, Amazónia, Sibéria.

 

15- O deserto do Sara é um vazio humano porque:

D – o clima não é propício.

 

 

II – Existia apenas uma frase verdadeira:

 

e) A maioria da população mundial vive em áreas abaixo dos 400 metros de altitude.

 

 

Questões para o 9ºAno

Mäyjo, 26.01.09

Como “ dizem” que estudam muito, ou então que não sabem o que estudar…

Têm aqui algumas perguntas para treinar, pelo menos enquanto pensam na resposta estão a estudar!

 

Escolhe a opção correcta.

a) Por consumo entende-se:

A quantidade de produtos que é possível comprar com um determinado rendimento 1

A acção de gastar uma dada quantidade de um determinado produto;

A acção pela qual as pessoas compram e utilizam os bens e serviços que existem no mercado;

A capacidade de escolher onde e quando se pretende comprar.

 

b) Diz-se que a qualidade de vida é elevada quando:

Existe a capacidade de os indivíduos comprarem os alimentos, vestuário e calçado de que necessitam;

Existe a capacidade de ter acesso aos mesmos bens a que têm acesso as “classes elevadas”;

Existe a capacidade de o indivíduo seleccionar e ter acesso a todos os bens e serviços que lhe são indispensáveis;

Existe a capacidade de o indivíduo escolher onde e quando irá passar férias no estrangeiro.

 

c) Um país é subdesenvolvido quando:

O crescimento económico é igual ao crescimento demográfico.

O crescimento económico é inferior ao crescimento demográfico.

O crescimento económico é superior ao crescimento demográfico.

 

d) A relação existente entre população e recursos alimentares nos países subdesenvolvidos origina:

Excesso de alimentos.

Fomes e subnutrição.

Equilíbrio entre a população e os recursos disponíveis.

 

e) As regiões da Terra mais afectadas pelos problemas de fomes e subnutrição são:

A Europa e a América do Norte.

A África e a Ásia do Sul.

 

 

 

O PNB não é suficiente para medir o desenvolvimento de um país.

1- Define PNB.

2- Justifica a afirmação inicial.

3- Dá exemplo de três outros indicadores se podem usar para medir o desenvolvimento.

4- Explica a necessidade da criação do IDH.

 

 

 

Comenta a seguinte frase:

“Pode haver crescimento sem desenvolvimento mas não há desenvolvimento sem crescimento.”

 

 

 

Um aumento da riqueza pode não implicar um aumento do desenvolvimento.

4.1- Justifica a afirmação anterior.

 

Exercícios para o 8º Ano - Refugiados

Mäyjo, 25.01.09

 

Esta é outra ficha que quem quiser poderá fazer e entregar, também até ao final do mês de Janeiro.

 

Bom trabalho!

 

_________________________________

 

 

A «torneira» dos refugiados
Os campos de refugiados da Macedónia estão outra vez à beira da ruptura, depois da chegada, no início da semana, de 30 mil kosovares em apenas três dias, e o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) está uma vez mais em rota de colisão com as autoridades de Skopje.
A Macedónia acusa o ACNUR de ultrapassar as suas competências e de não compreender os riscos que o país enfrenta depois da chegada de 250 mil refugiados de origem albanesa. E, por seu lado, o ACNUR começa a estar cansado de manter uma pressão constante sobre o governo de Skopje para que os compromissos assumidos sejam respeitados, sendo obrigado a assumir o papel de polícia para garantir a segurança dos refugiados.
Para o ACNUR, o responsável desta situação é o regime de Belgrado, que expulsa os albaneses do Kosovo de uma maneira imprevisível: nalguns dias de Abril chegaram 20 mil pessoas, para, no dia seguinte, não chegar ninguém, a seguir umas centenas, para depois explodir de novo para as 1 O mil pessoas por dia e chegar às dezenas de kosovares que entraram no país na quarta-feira. «Esta estratégia de abrir e fechar a torneira é um pesadelo para os responsáveis das organizações humanitárias» desabafou Dennis McNamara, enviado especial da ACNUR para a ex-Jugoslávia.
Público, 28 de Maio de 1999
 
 
 
 
 
 

Fig.1 – Refugiados do Kosovo, chegando à cidade de Glogovac.
 Fig.2 – Campo de refugiados em território angolano.

 
1 - Relaciona a expansão e a recessão da economia nos países industrializados com a intensidade dos fluxos migratórios.
 
2 – Lê o texto e responde às seguintes questões, com base na notícia:
2.1- Descobre a região de partida e o país de chegada dos refugiados.
2.2- Descobre as razões da partida dos refugiados.
 
3- Justifica a afirmação: «Esta estratégia de abrir e fechar a torneira é um pesadelo para os responsáveis das organizações humanitárias».

 

Exercícios para o 8º Ano - Migrações ilegais

Mäyjo, 24.01.09

Esta é uma ficha que quem quiser poderá fazer e entregar até ao final do mês de Janeiro.

 

Bom trabalho!

 

_________________________________

 

 

A partir de 1973, inicia-se, na Europa, uma grande crise económica provocada pela subida dos preços do petróleo. Aquela teve como consequência o aumento do desemprego e o decréscimo acentuado dos fluxos migratórios internacionais.
Os países de acolhimento começaram a colocar restrições à entrada de trabalhadores estrangeiros, com o objectivo de reduzir o desemprego dos seus cidadãos. Alguns países, como a França e a Alemanha, dispuseram-se, inclusivamente, a pagar indemnizações aos imigrantes que quisessem sair do país.
Depois deste período de relativa acalmia dos fluxos migratórios, estes voltam a ser significativos a partir de 1990.
Da África do Norte, onde a miséria é uma constante, saem grandes massas populacionais em direcção à Europa. A maioria destas migrações é ilegal (clandestinas).
Também as alterações do sistema político e económico dos países da Europa Central e do Leste têm desencadeado situações de miséria, guerra e repressão. Por sua vez, aquelas provocam um intenso movimento, principalmente, de húngaros, polacos, albaneses, jugoslavos, romenos e búlgaros, em direcção à Europa Ocidental.
 
ONDA DE ILEGAIS ATINGE O SUL DE ESPANHA
O estreito de Gibraltar, a grande fronteira entre a Africa e a Europa, está a transformar-se num imenso cemitério de imigrantes ilegais. O desejo de muitos jovens marroquinos e argelinos de abandonarem a miséria em que vivem não tem limites. Atravessam as águas turbulentas do estreito de Gibraltar, amontoados em pequenos barcos.
Só em 1996, a polícia espanhola prendeu mais de cinco mil clandestinos e muitos outros naufragaram e ficaram no fundo do mar.
Uma das tragédias ocorreu em Outubro de 1996, quando vinte e sete jovens morreram ao virar-se o barco onde seguiam.
As pequenas embarcações estão preparadas para transportar dez pessoas, mas acabam por transportar três vezes mais, o que constitui um grande perigo.
A tragédia ocorre quando a polícia está à espera na praia, no lado espanhol. Os ilegais terão que regressar a Marrocos e abandonar o sonho de encontrar trabalho em Espanha. E o pior é que todo o sacrifício económico que representa pagar a viagem não lhes terá servido de nada. Atravessar o estreito em barcos pequenos custa entre 375 e 500 euros, uma quantia muito grande para uma economia como a marroquina, em que o ordenado médio não ultrapassa os 250 euros.
Apesar do grande controlo da polícia espanhola, pensa-se que o número de marroquinos ilegalmente estabelecidos em Espanha atinja os 200 mil.
Adaptado de Diário de Notícias
 
ACTIVIDADES DE SÍNTESE
 
1- Explica a ocorrência de acentuados movimentos migratórios na Europa, após a II Guerra Mundial.
 
2- “Os fluxos migratórios para a Europa Ocidental intensificaram-se a partir de 1990.”
2.1- Identifica as razões responsáveis por esta nova vaga de migrações.
2.2- Refere as principais regiões de partida dos migrantes.

Exercícios para o 9º Ano

Mäyjo, 22.01.09

Mais alguns exercícios para poderem estudar para o teste que se aproxima...

 

 

Qualidade de vida
1- Comenta os seguintes textos, relacionando os mesmos com a qualidade de vida e os níveis de desenvolvimento dos países.
 
1.1-
Todos têm o direito de desfrutar um meio ambiente adequado para o desenvolvimento da pessoa, assim como o dever de conservá-lo. Os poderes públicos velarão pela utilização racional de todos os recursos naturais, com o fim de proteger e melhorar a qualidade de vida e defender e restaurar o meio ambiente, apoiando-se na indispensável solidariedade colectiva.
 
1.2-
Não importa que um povo tenha tempo para ganhar o pão; necessita, isso sim, de tempo para comê-lo com alegria, pois de outro modo não o ganhará por muito tempo.
J.J. Rousseau
 
 
Indicadores de qualidade de vida
2- Faz corresponder a cada área de análise (de A a J) os indicadores de qualidade de vida respectivos (de 1 a 30).
 
ÁREAS DE ANÁLISE
A
Educação
F
Habitação
B
Saúde / Assistência social
G
Emprego
C
Ambiente
H
Economia
D
Tempos livres
I
Produção/ Consumo
E
Segurança
J
Participação social
 
INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA
1
Rendimento anual por capita
2
Esperança média de vida
3
Taxa de mortalidade infantil
4
Taxa de analfabetismo
5
Taxa de participação em eleições
6
Valor médio de habitação própria
7
Exposição à poluição atmosférica
8
Condições de habitação
9
Exposição ao ruído
10
Número de habitantes por cama hospitalar
11
Número de televisões por 1000 habitantes
12
Taxa de homicídios
13
Taxa de sinistralidade automóvel
14
Número médio de dias de férias por ano
15
Taxa de alfabetização para adultos
16
Percentagem da poupança familiar no P. N. B.
17
Número de cinemas por 1000 habitantes
18
Taxa de crescimento do rendimento familiar
19
Taxa do tratamento dos esgotos por ETAR
20
Número de computadores por 1000 habitantes
21
Taxa de desemprego
22
Taxa de trabalho infantil
23
Percentagem de visitantes de museus
24
Percentagem de reformados
25
Taxa de população activa
26
Taxa de pobreza no país
27
Taxa de escolaridade obrigatória
28
Número de estudantes universitários por 1000 habitantes
29
Valor médio dos salários
30
Percentagem de população coberta por assistência social
 
 
ÁREAS DE ANÁLISE
A
 
 
F
 
B
 
 
G
 
C
 
 
H
 
D
 
 
I
 
E
 
 
J